Los poemas de este blog son del poeta Javier Villegas Fernández y tienen derechos reservados de autor.

domingo, 2 de noviembre de 2008

LA RANA ANITA EN PORTUGUES TRADUCIDO POR ADELAIDE MENDOZA DE BRASIL.


A rã Anita

A rã Anita,
um dia se foi,
muito triste andou,
não sabem porque

Tinha uma magoa,
tinha uma dor
a pobre rã,
sofria de amor!

Saiu de um lago,
uma madrugada
sozinha, sozinha
e entrestecida.

Foi-se pelo rio
foi-se pelo mar,
buscando um noivo,
que a levasse ao altar.

Queria casar-se,
não sabiam com quem
mas ela buscava,
um noivo de bem.

A rã Anita,
muito longe foi
buscando ao noivo
com o qual sonhou.

Por fim, certo día,
ao bosque chegou
e um sapo presente
a galanteou.

A rã Anita,
sentiu a emoção
dentro, muito dentro,
do seu coração.

Acreditou que o dia,
finalmente chegou,
de encontrar o novio,
que sempre sonhou.

Tudo foi uma armadilha,
uma mera ilusão,
o sapo do lago
era um fanfarrão.

A rã Anita,
sentiu sua aflição,
foi-se muito sozinha
a otra nação.

Foi-se pelo mar
e chegou a Paris,
pensando no novio
que a faria feliz.

Não a conheciam,
não sabiam quem era,
a rã Anita,
não falava frances.

Ninguem a entendia,
em essa nação,
foi maior sua magoa,
cresceu sua aflição.

E sentindo-se
uma noite pensou:
“é melhor a terra,
onde se nasceu”.

Pegou suas maletas,
guardou sua dor,
e a rã voltou
em um trimotor.

Estando na sua terra,
sua esperança cresceu,
a rã Anita
se modernizou.

Estudou computação,
o idioma ingles,
e por acaso,
também o frances.

Finalmente, certo dia
no computador,
buscavaa remedio,
para seu mal de amor.

Alguien lhe informou,
que era muito genial,
encontrar um novio,
na rede virtual.


©2008. Javier Villegas Fernández